F.A.Q: Perguntas Frequentes

You are here: Home \ F.A.Q

Aqui, você encontra as respostas para as dúvidas mais frequenctes, além de muitas dicas para a boa instalação e utilização de sistemas de recepção satelitais.

FAQ Occhi Vision / Images

QUAIS OS DIÂMETROS E QUANTAS ANTENAS DEVO UTILIZAR ?

Cabe ao usuário ou operador adotar critérios mínimos para avaliar a correta quantidade de antenas e acessórios. O primeiro passo, baseia-se num “Line-up” dos sinais satelitais que se deseja receber. Munido desta informação, será possível saber quais os satélites, bandas e polarizações que serão recebidos. Por conseqüência, se obterá os respectivos diâmetros de antenas e acessórios que serão necessários para a boa recepção dos sinais, capaz de manter uma boa relação de C/N (Carrier/Noise) ao sistema.

ONDE ESTÃO LOCALIZADOS OS SATÉLITES?

Em geral, os sinais são originários de satélites geoestacionários. Estes satélites estão em órbita na linha do Equador, cada um em sua posição orbital, um ao lado do outro, há aproximadamente 38.000 Km de altura. Como estamos no hemisfério Sul, e a maior parte do Brasil está abaixo da linha do Equador, a nossa linha de visada será voltada para o norte.

image85l

O QUE É NORTE GEOGRÁFICO E NORTE MAGNÉTICO?

Quando referimo-nos ao NORTE, é importante identificar se é o NORTE MAGNÉTICO, que é o norte lido na bússola, ou o NORTE GEOGRÁFICO, que é o NORTE REAL. Por exemplo: Para a latitude e longitude de São Paulo, respectivamente 23° 39’ S – 46° 40’ W, o declínio magnético para o ano de 2002 é de 19° 30’ . Obs.: O declínio magnético varia de acordo com o tempo.

imagepgh

A partir do referencial NORTE de uma bússola, a linha de visada deverá estar totalmente livre de interferências físicas do cinturão entre o perímetro Leste – Oeste.

Observação: Para acessar a tabela de declínio magnético, clique aqui!

COMO CALCULAR O AZIMUTE E ELEVAÇÃO DA ANTENA?

Há várias ferramentas para se calcular o azimute e elevação de antenas focal-point e offset. Uma ferramenta útil poderá ser acessa clicando aqui!

QUAIS SÃO OS TIPOS DE INTERFERÊNCIAS QUE PREJUDICAM A RECEPÇÃO DE SINAIS SATELITAIS?

Além de não poder existir interferências físicas, tais como: árvores, prédios, torres, cabos de alta tensão, que são facilmente observados, também não poderão existir interferências de origem radioelétrica, tais como: links de microondas, radio-digital, links de Tv, dentre outros. Para esta análise, será necessária a contratação de um profissional capacitado a executar o levantamento de interferências radioelétricas, munido de instrumentos que possam varrer o espectro de freqüência nas faixas de recepção dos sinais satelitais desejados.

Atualmente também encontramos em muitas localidades, principalmente nas grandes cidades, interferências oriundas de sistemas de WIMAX. Estes sistemas operam na mesma faixa de frequencia ocupada pela Banda C Estendida (3,4 a 4,2 GHz), conforme é esclarecido abaixo. No caso do WIMAX, este opera na banda de 3,4 GHz até 3,6 GHz em canais de 0,25 MHz. De 3,4 a 3,5 GHz é utilizada para a transmissão dos terminais aos nodais e de 3,5 GHz a 3,6 Ghz é utilizada para a transmissão dos nodais para os terminais. A potência do Nodal é de 33 dbm ou 2 Watts. Portanto, é o suficiente para interferir nos sinais de Banda C. Consegue-se amenizar muitas das interferências causadas por WIMAX através da utilização de FILTROS específicos, conforme figura abaixo.

filtro_2009

imageq35

 

Dentre os satélites que serão recepcionados, o operador deverá se informar sobre a “BANDA DE OPERAÇÃO”, que poderá ser “C” ou “Ku” e futuramente a “Ka”.

QUAIS AS FAIXAS DE FREQUENCIAS DAS BANDAS MAIS UTILIZADAS?

 

BANDA
FAIXA DE FREQUENCIA
C
3,7 – 4,2 GHz
Planejada
(Apêndice B)
4.5 – 4.8 GHz
Ku
10,95 – 12,75 GHz

 

Observações:
– A Banda Ku é subdividida em várias faixas, dependendo do satélite que é recepcionado.
– Na Banda C, cada vez mais é utilizada a “Banda Estendida”, que corresponde de 3,4 a 4,2GHz.
– Na Banda C temos o Apêndice B, que compreende a faixa de 4.5 a 4.8 GHz.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE POLARIZAÇÕES UTILIZADAS?

POLARIZAÇÃO
TIPO
LINEAR 
VERTICAL e HORIZONTAL
CIRCULAR
 CIRCULAR À DIREITA e CIRCULAR À ESQUERDA

 

image1e4imagelic

DEVO UTILIZAR UM ALIMENTADOR SIMPLES OU DUPLO?

Os alimentadores poderão ser SIMPLES, que são destinados para a recepção de uma única polarização, linear (vertical ou horizontal) ou circular (direita ou esquerda), ou então DUPLOS, que são destinados para a recepção das duas polarizações lineares (vertical e horizontal simultaneamente) ou circulares (esquerda e direita simultaneamente). Além disso, existem alimentadores especiais capaz de receberem as bandas C e Ku simultaneamente. É importante ressaltar que os alimentadores devem estar sintonizados para responderem na mesma faixa de freqüência dos sinais recepcionados. Em se tratando de Banda Estendida, o alimentador deverá garantir a recepção na faixa solicitada.
O “CROSSPOL” mínimo exigido para a recepção de um alimentador é de 20 dB, para as bandas C e Ku.

QUAIS SÃO OS CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA A INSTALAÇÃO DE UMA ANTENA PROFISSIONAL?

Para a fixação das antenas no local da instalação, é aconselhável o auxílio de um engenheiro civil ou profissional capacitado para tal execução. Será necessário seguir as instruções construtivas das bases das antenas parabólicas, de acordo com as especificações de cada fabricante, obedecendo as premissas mínimas de forças de COMPRESSÃO e TRAÇÃO para cada ponto de apoio. Respeitando as forças indicadas, recomenda-se que as antenas suportem as seguintes cargas de ventos (mínimas):

 

VENTO
 VELOCIDADE
OPERACIONAL 180 Km/hora
SOBREVIVÊNCIA 200 Km/hora

 

As antenas poderão ser fixadas ao nível do solo (em alvenaria ou estruturas metálicas), ou no topo de edificações, desde que todos os aspectos de segurança quanto à resistência ao vento sejam respeitadas.

QUAIS AS CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS E GANHO DOS REFLETORES PARABÓLICOS?

O refletor parabólico profissional deverá ser de chapa de alumínio, aço ou em fibra de vidro, sempre com a superficie fechada. O ganho nominal do refletor deverá ser de acordo com a tabela abaixo:

DIÂMETRO (m)
GANHO – BANDA C
GANHO BANDA Ku
1,80
 35,57 dBi
 44,42 dBi
2,00
36,48 dBi
45,34 dBi
2,30
37,70 dBi
46,55 dBi
2,50
38,42 dBi
47,28 dBi
2,80
39,40 dBi
48,26 dBi
3,10
40,29 dBi
49,15 dBi
3,40
41,09 dBi
49,95 dBi
3,70
41,83 dBi
50,68 dBi
4,00
42,50 dBi
51,36 dBi
4,30
43,13 dBi
51,99 dBi
4,50
43,53 dBi
52,38 dBi
5,00
44,44 dBi
53,30 dBi
6,00
46,02 dBi
54,88 dBi

Obs.: O diâmetro é em metros. A freqüência atribuída para o cálculo de ganho em Banda C é de 3,95 Ghz e para a Banda Ku 10,95 Ghz.

QUAL O ERRO SUPERFICIAL ADMITIDO?

O erro superficial do refletor deverá atender a seguinte escala:

DIÂMETROS
ERRO SUPERFICIAL MÁXIMO
Até 4,00 metros 0,5 a 1 mm RMS
De 4,10 até 5,50 metros 1 a 2 mm RMS
De 5,60 até 7,00 metros 1,5 a 3 mm RMS

QUAL A EFICIÊNCIA TÍPICA DE UMA ANTENA FOCAL-POINT PROFISSIONAL?

Deverá estar na faixa de 65% +/- 2, tanto para refletores de chapa de alumínio ou aço.

QUAL A RESISTÊNCIA NECESSÁRIA PARA CHUVA DE GRANIZO?

O refletor deverá suportar pedras com até 100 gramas de peso

QUAL O TRATAMENTO DAS PARTES METÁLICAS?

As partes metálicas deverão estar zincadas a fogo e, se possível,  pintadas com pintura de alta durabilidade, para uma proteção adicional das ferragens, de acordo com as características de cada fabricante.

QUAL O ACABAMENTO DO REFLETOR?

O refletor parabólico necessariamente deverá estar pintado com cores claras, para minimizar a temperatura de ruído.

QUAL O TRATAMENTO PARA OS PARAFUSOS, PORCAS E ARRUELAS?

Recomenda-se que os parafusos porcas e arruelas de montagem do refletor parabólicos sejam de aço inóx. Os demais parafusos, porcas e arruelas, poderão ser zincados a fogo.

DEVE-SE ATERRAR A ANTENA?

Todas as antenas deverão estar aterradas, garantindo uma resistência ôhmica máxima de 4 ohms em relação ao terra, de acordo com as normas da ABNT existentes.

QUAL É A RECOMENDAÇÃO DA MÃO DE OBRA PARA A INSTALAÇÃO DA ANTENA?

A instalação da antena deverá ser feita pelo fabricante ou pelo seu representante autorizado, para que as características de rendimento e segurança sejam respeitadas. E lembre-se, consulte sempre o seu fabricante de antenas parabólicas. Não tente instalar uma antena sem o conhecimento técnico, pois certamente os danos serão irreversíveis